Governo Federal arrecada R$ 157,34 bilhões em novembro e bate recorde — Português (Brasil)

blank

De acordo com dados divulgados nessa terça-feira (21/12) pela Receita Federal, o Governo Federal arrecadou R$ 157,34 bilhões em novembro, com aumento de 1,41% acima da inflação em valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em 2020, neste mesmo mês, o valor arrecadado foi cerca de R$140 bilhões.

O valor deste ano é o maior da história para meses de novembro desde o início da série histórica da Receita Federal, em 1995. Considerando o acumulado do período de janeiro a novembro deste ano, o valor arrecadado foi R$ 1,685 trilhão, com alta de 18,13% acima da inflação pelo IPCA, outro recorde para o período.

“Em 2020 haviam sido arrecadados R$ 1,320 trilhão, representando então um acréscimo nominal, em relação a 2020, de 27,61%. Em termos reais, no período acumulado, nós crescemos 18,13%”, explicou o chefe do Centro de Estudos Tributários, Claudemir Malaquias.

De acordo com Claudemir Malaquias, a arrecadação dos tributos acompanha o desempenho econômico, o que justifica o reforço na arrecadação de R$ 3,69 bilhões, em novembro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado em valores corrigidos pelo IPCA.

Desempenho da arrecadação

Entre os principais fatores que influenciaram os resultados da arrecadação de novembro estão o avanço da atividade econômica e o crescimento da arrecadação do Imposto de Renda e da Contribuição Social, que em 2021 apresentou um crescimento de 12,1% em relação ao ano passado.

“O imposto de renda, desde o início do ano, vem apresentando crescimento bastante significativo e, no período acumulado, nós vamos ver o grande resultado do período fortemente impactado pelo desempenho, não só do imposto de renda, como também da contribuição social, que são dois tributos cobrados das empresas”, declarou o chefe do Centro de Estudos Tributários.

Além disso, a elevação das alíquotas do IOF crédito, em outubro de 2021, o recolhimento de parcelas diferidas do Simples Nacional e o diferimento do PIS/Cofins do Setor Elétrico, ambos em novembro, também contribuíram para os bons resultados do último mês.

Empregos formais

Um dos canais de recuperação da economia, que também impactaram o resultado da arrecadação de novembro, foi o desempenho do mercado de trabalho. A queda da taxa de desemprego para 12,6% em setembro, bem como os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), com geração acumulada de 2,4 milhões de empregos formais, também influenciaram os dados apresentados nesta terça-feira pela Receita Federal.

Fonte: Gov.br

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do SaquaremaTV em seu e-mail, é de graça!