Semana Nacional de Ciência e Tecnologia leva ao público curiosidades e inovações — Português (Brasil)

blank

A ciência na prática. É o que o público encontra na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada em Brasília pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Quem visita os estandes pode conhecer como funciona um satélite, ficar por dentro de curiosidades sobre astronomia, geofísica do planeta Terra e sobre a ciência aplicada no dia a dia.

Neste ano, o tema da semana é “A Transversalidade da Ciência, Tecnologia e Inovações para o Planeta” com a ideia de mostrar como a Ciência e Tecnologia estão presentes nas mais diferentes áreas da nossa rotina. As atividades acontecem até o dia 10 de dezembro no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade.

A reprodução do Amazonia-1, primeiro satélite de observação da Terra completamente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil está exposta no estande do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), unidade de pesquisa do MCTI. O satélite foi lançado ao espaço neste ano.

“É um satélite 100% brasileiro de sensoreamento remoto, é como se ele fotografasse o planeta. Nossa intenção com ele é monitorar todo o território brasileiro e, havendo necessidade, também compartilhar imagens com outros países. O outro que também está aqui no estande é o feito em parceria com a China, o CBERS 04A, o último que lançamos”, explicou Eduardo Loyolla, chefe da Comunicação Social do INPE.

“Esses satélites estão imageando todo o território nacional para verificarmos qual o estado dos nossos biomas e trabalhar não só política de fiscalização, de desenvolvimento, mas também permitindo que a sociedade utilize essas imagens para fazer suas atividades. Os agricultores podem olhar para verificar como está a safra, podemos usar para determinar obras grandes, rodovias”, detalhou Loyolla.

Curiosidade sobre a Terra

Como funciona a temperatura no interior do planeta Terra é o que o visitante descobre com o Observatório Nacional, unidade de pesquisa vinculada ao MCTI, que também marca presença no evento.

“Estamos aqui com uma explicação sobre o campo geotérmico da Terra, ou seja, como a temperatura funciona no interior do planeta Terra. Trouxemos o equipamento que mostra como essa temperatura é aferida. Seria um leitor de temperatura infravermelho, ele é usado para aferir a temperatura de fonte geotérmica, da lava de um vulcão”, disse o geólogo do Observatório Nacional, Lucca Franco.

Outra curiosidade que está por lá é o Grande Livro da Astronomia que explica a origem do universo, das galáxias, das estrelas e dos planetas. “Também é muito interessante para quem tem pouca experiência na área e quer conhecer um pouco”, observou o geólogo.

Conhecendo a Amazônia

Caixa entomológica com insetos da Amazônia e tecnologias voltadas para segurança alimentar na região são algumas das atrações do estande do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), unidade de pesquisa subordinada ao MCTI.

Lá também é possível ter informações sobre o trabalho da instituição que é referência mundial nos estudos de biologia tropical, focadas nos impactos das mudanças climáticas globais na Floresta Amazônica e formação de nuvens. Os estudos são feitos a partir do Observatório da Torre Alta da Amazônia que tem 325 metros de altura. Uma maquete da torre está no estande do INPA.

A ciência no dia a dia

O Canal Ciência, serviço de divulgação científica do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), unidade de pesquisa vinculada ao MCTI, também marca presença na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

Para mostrar à sociedade que a ciência faz parte do dia a dia, a equipe do canal disponibiliza materiais lúdicos e educativos como jogos e kits e divulga a cartilha O Pensamento da Avaliação do Ciclo de Vida, que mostra a relação entre a fabricação de produtos e os serviços a eles associados e os seus impactos sobre a natureza, a chamada Avaliação do Ciclo de Vida de Produtos.

Reciclagem de eletrônicos

Um ônibus da organização não-governamental Programando o Futuro está estacionado no pavilhão onde ocorre a 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia recebendo visitantes que querem informações sobre descarte ambientalmente correto de aparelhos eletrônicos e recondicionamento de computadores.

Quem passa por lá descobre que aparelhos eletrônicos, como celulares, computadores e baterias, se jogados no lixo comum, podem contaminar o solo e água com elementos tóxicos. E quando são reaproveitados, se transformam em oportunidades e novos equipamentos.

A organização Programando o Futuro, participa do programa Centro de Recondicionamento de Computadores (CRCs), do Ministério das Comunicações, que atua com instituições em diferentes estados.

Interação com o continente gelado

Um bate papo inusitado ocorreu no Pavilhão do Parque na terça-feira (07/12). O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, conversou com a pinguim Georgia, direto da Antártica. O avatar faz parte do Projeto Fala Antártica do MCTI, criado pelo programa InterAntar, em parceria com a Universidade Federal do ABC.

Georgia, que é a protagonista da série de vídeos 101 perguntas sobre regiões polares, fala de temas como meio ambiente, mudanças climáticas e preservação para crianças e jovens. O projeto é parte dos produtos propostos e coordenados pelo MCTI para a celebração dos 40 anos no Brasil na Antártica, comemorados em janeiro de 2022.

Participe

O evento é gratuito e voltado para toda a família. Durante a semana, o Pavilhão abre às 8h30 e vai até as 19h. No fim de semana, os portões abrem às 10h e fecham às 19h.

Confira a programação.

Fonte: Gov.br

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do SaquaremaTV em seu e-mail, é de graça!