Semana Nacional de Ciência e Tecnologia leva ao público curiosidades e inovações — Português (Brasil)

blank

A ciência na prática. É o que o público encontra na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada em Brasília pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Quem visita os estandes pode conhecer como funciona um satélite, ficar por dentro de curiosidades sobre astronomia, geofísica do planeta Terra e sobre a ciência aplicada no dia a dia.

Neste ano, o tema da semana é “A Transversalidade da Ciência, Tecnologia e Inovações para o Planeta” com a ideia de mostrar como a Ciência e Tecnologia estão presentes nas mais diferentes áreas da nossa rotina. As atividades acontecem até o dia 10 de dezembro no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade.

A reprodução do Amazonia-1, primeiro satélite de observação da Terra completamente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil está exposta no estande do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), unidade de pesquisa do MCTI. O satélite foi lançado ao espaço neste ano.

“É um satélite 100% brasileiro de sensoreamento remoto, é como se ele fotografasse o planeta. Nossa intenção com ele é monitorar todo o território brasileiro e, havendo necessidade, também compartilhar imagens com outros países. O outro que também está aqui no estande é o feito em parceria com a China, o CBERS 04A, o último que lançamos”, explicou Eduardo Loyolla, chefe da Comunicação Social do INPE.

“Esses satélites estão imageando todo o território nacional para verificarmos qual o estado dos nossos biomas e trabalhar não só política de fiscalização, de desenvolvimento, mas também permitindo que a sociedade utilize essas imagens para fazer suas atividades. Os agricultores podem olhar para verificar como está a safra, podemos usar para determinar obras grandes, rodovias”, detalhou Loyolla.

Curiosidade sobre a Terra

Como funciona a temperatura no interior do planeta Terra é o que o visitante descobre com o Observatório Nacional, unidade de pesquisa vinculada ao MCTI, que também marca presença no evento.

“Estamos aqui com uma explicação sobre o campo geotérmico da Terra, ou seja, como a temperatura funciona no interior do planeta Terra. Trouxemos o equipamento que mostra como essa temperatura é aferida. Seria um leitor de temperatura infravermelho, ele é usado para aferir a temperatura de fonte geotérmica, da lava de um vulcão”, disse o geólogo do Observatório Nacional, Lucca Franco.

Outra curiosidade que está por lá é o Grande Livro da Astronomia que explica a origem do universo, das galáxias, das estrelas e dos planetas. “Também é muito interessante para quem tem pouca experiência na área e quer conhecer um pouco”, observou o geólogo.

Conhecendo a Amazônia

Caixa entomológica com insetos da Amazônia e tecnologias voltadas para segurança alimentar na região são algumas das atrações do estande do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), unidade de pesquisa subordinada ao MCTI.

Lá também é possível ter informações sobre o trabalho da instituição que é referência mundial nos estudos de biologia tropical, focadas nos impactos das mudanças climáticas globais na Floresta Amazônica e formação de nuvens. Os estudos são feitos a partir do Observatório da Torre Alta da Amazônia que tem 325 metros de altura. Uma maquete da torre está no estande do INPA.

A ciência no dia a dia

O Canal Ciência, serviço de divulgação científica do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), unidade de pesquisa vinculada ao MCTI, também marca presença na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

Para mostrar à sociedade que a ciência faz parte do dia a dia, a equipe do canal disponibiliza materiais lúdicos e educativos como jogos e kits e divulga a cartilha O Pensamento da Avaliação do Ciclo de Vida, que mostra a relação entre a fabricação de produtos e os serviços a eles associados e os seus impactos sobre a natureza, a chamada Avaliação do Ciclo de Vida de Produtos.

Inovações tecnológicas

O Ministério das Comunicações tem um estande na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia que traz programas e experiências tecnológicas no campo da comunicação. A atração tem como um dos destaques demonstrações do uso da internet 5G. O visitante pode conferir ainda programas e iniciativas da pasta que ampliam a conectividade a digitalização no Brasil.

Um exemplo de inovação apresentado no estande é o DTV Play, que possibilita maior interação, como a personalização de anúncios ao telespectador. Outra é o áudio imersivo que praticamente transporta o telespectador ao evento que está sendo transmitido por meio de tecnologias de áudio de última geração. No espaço do Ministério das Comunicações há ainda uma exposição de peças antigas de TV e do museu da Rádio Nacional que proporcionam ao visitante uma viagem no tempo.

Reciclagem de eletrônicos

Um ônibus da organização não-governamental Programando o Futuro está estacionado no pavilhão onde ocorre a 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia recebendo visitantes que querem informações sobre descarte ambientalmente correto de aparelhos eletrônicos e recondicionamento de computadores.

Quem passa por lá descobre que aparelhos eletrônicos, como celulares, computadores e baterias, se jogados no lixo comum, podem contaminar o solo e água com elementos tóxicos. E quando são reaproveitados, se transformam em oportunidades e novos equipamentos.

A organização Programando o Futuro, participa do programa Centro de Recondicionamento de Computadores (CRCs), do Ministério das Comunicações, que atua com instituições em diferentes estados.

Interação com o continente gelado

Um bate papo inusitado ocorreu no Pavilhão do Parque na terça-feira (07/12). O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, conversou com a pinguim Georgia, direto da Antártica. O avatar faz parte do Projeto Fala Antártica do MCTI, criado pelo programa InterAntar, em parceria com a Universidade Federal do ABC.

Georgia, que é a protagonista da série de vídeos 101 perguntas sobre regiões polares, fala de temas como meio ambiente, mudanças climáticas e preservação para crianças e jovens. O projeto é parte dos produtos propostos e coordenados pelo MCTI para a celebração dos 40 anos no Brasil na Antártica, comemorados em janeiro de 2022.

Participe

O evento é gratuito e voltado para toda a família. Durante a semana, o Pavilhão abre às 8h30 e vai até as 19h. No fim de semana, os portões abrem às 10h e fecham às 19h.

Confira a programação 

Fonte: Gov.br

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do SaquaremaTV em seu e-mail, é de graça!