Tratamento comum para asma reduz a necessidade de hospitalização em pacientes com COVID-19, sugere estudo.

blank

O tratamento precoce com um medicamento comumente usado para tratar a asma parece reduzir significativamente a necessidade de atendimento urgente e hospitalização em pessoas com COVID-19, descobriram pesquisadores da Universidade de Oxford.

O estudo STOIC concluiu que a budesonida inalada administrada a pacientes com COVID-19 no prazo de sete dias após o início dos sintomas também reduziu o tempo de recuperação. Budesonida é um corticosteroide usado no tratamento de longo prazo da asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Os resultados do estudo randomizado de fase 2, apoiado pelo NIHR Oxford Biomedical Research Center (BRC), foram publicados no servidor de pré-impressão medRxiv (em inglês).

As descobertas de 146 pessoas – das quais metade tomou 800 microgramas do medicamento duas vezes ao dia e a outra metade estava sob tratamento usual – sugere que a budesonida inalada reduziu o risco relativo de necessitar de atendimento urgente ou hospitalização em 90% no período de estudo de 28 dias. Os participantes que receberam o inalador de budesonida também tiveram uma resolução mais rápida da febre, sintomas e menos sintomas persistentes após 28 dias.

O ensaio foi inspirado pelo fato de que, nos primeiros dias da pandemia, os pacientes com doença respiratória crônica, que costumam receber esteroides inalatórios, estavam significativamente sub-representados entre os internados no hospital com COVID-19.

Assim como o Oxford BRC, o estudo STOIC foi apoiado pela AstraZeneca.

Créditos: Universidade de Oxford
Matéria completa em inglês: https://www.ox.ac.uk/news/2021-02-09-common-asthma-treatment-reduces-need-hospitalisation-covid-19-patients-study

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do SaquaremaTV em seu e-mail, é de graça!