Governo Federal tem agenda de atividades para comemorar o Bicentenário da Independência do Brasil

O ano de 2022 marca o Bicentenário da Independência do Brasil, que será comemorado em 7 de setembro. Para celebrar, o Governo Federal realiza uma série de atividades para rememorar a trajetória do país ao longo dos 200 anos. Com o mote Liberdade, Independência e Soberania, há ações como o lançamento de publicações, incentivo à produção de arte sobre a temática, reforma de museu e mobilização da diplomacia brasileira para celebrar a data também no exterior.

A Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, é a coordenadora das comemorações, em parceria com a Secretaria Especial de Comunicação Social, vinculada ao Ministério das Comunicações, e a Subchefia de Articulação e Monitoramento da Casa Civil da Presidência da República.

Ao longo de 2022, estão previstos lançamentos de diversas publicações pela Biblioteca Nacional, pela Funarte, pelo Ministério da Defesa e pela Fundação Alexandre de Gusmão, ligada ao Ministério das Relações Exteriores. Outra iniciativa prevista é a programação de museus coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), além de vasta programação de seminários, webinários e exposições por diversos órgãos.

Uma das iniciativas que vai marcar a celebração do Bicentenário da Independência será a reinauguração do Museu do Ipiranga, que passa por obras de restauração, prevista para setembro de 2022. A reinauguração foi anunciada ainda no segundo semestre do ano passado pela Secretaria de Cultura. O museu abriga um acervo de obras e mobiliários que tem relação com a Independência do Brasil. É lá que está a pintura Independência ou Morte, do artista brasileiro Pedro Américo, considerada a representação mais difundida do momento da independência do país. A restauração é fomentada pelo Governo Federal com a participação da iniciativa privada.

Ainda foi aprovada pela Secretaria Especial da Cultura uma linha de investimentos para produções audiovisuais que, por meio de edital, vai selecionar projetos brasileiros independentes, feitos em episódios ou não. As produções poderão ser documentais, ficcionais ou animações de curta e longa metragem com o tema da independência brasileira. O valor total investido será de R$ 30 milhões, para contemplar cerca de 20 projetos. Os projetos serão selecionados por uma comissão mista com servidores e profissionais do setor audiovisual.

Neste ano, as atividades em torno das comemorações do Bicentenário da Independência foram intensificadas e uma comissão interministerial tem realizado reuniões temáticas semanalmente, de acordo com a Secretaria Especial de Cultura. Em fevereiro deste ano, a Secretaria e a Subchefia de Articulação e Monitoramento da Casa Civil promoveram uma série de reuniões relativas ao Bicentenário da Independência do Brasil que buscaram envolver todos os Ministérios nas ações alusivas à data.

Nos encontros, representantes de instituições públicas também trataram de ações de proteção e promoção do patrimônio histórico por meio da digitalização, disponibilização virtual de acervos e medidas de combate ao tráfico de bens culturais.

A pauta das comemorações do Bicentenário se expandiu para os entes subnacionais e outros poderes. Houve reunião envolvendo todas as unidades da federação, bem com o Senado Federal e a Câmara dos Deputados, de acordo com a Casa Civil.

No âmbito federal, o Decreto 9.853/19, alterado pelo Decreto 10.908/21, dispõe sobre a Comissão Interministerial Brasil 200 Anos, que reúne, sob a coordenação da Secretaria Especial de Cultura, os principais órgãos que organizam a programação alusiva ao Bicentenário.

Celebração além das fronteiras

Além da mobilização no Brasil, as representações do país no exterior, como embaixadas, consulados e missões têm incluído o tema do Bicentenário em suas manifestações culturais, como forma de envolver a comunidade internacional na celebração. Em 2021, foram realizadas cerca de 20 atividades culturais no exterior relacionadas ao Bicentenário da Independência do Brasil. Para 2022, já foram apresentadas cerca de 380 propostas de ações sobre a temática em postos no exterior.

Em entrevista coletiva, o Ministério das Relações Exteriores apresentou as ações da pasta em torno do tema. Uma exposição audiovisual sobre o percurso da diplomacia brasileira, será organizada pelo Ministério das Relações Exteriores, em Brasília, e estará disponível também em ambiente virtual. O ministério ainda vai promover simpósios e mesas redondas sobre o tema do bicentenário.

“A história do Brasil, a construção brasileira, a construção das fronteiras, veio muito pela diplomacia. Tanto o reconhecimento da independência, quanto a delimitação das fronteiras, que é um trabalho do Barão do Rio Branco e de outros”, disse o embaixador Achilles Zaluar, chefe do gabinete do ministro das Relações Exteriores.

A pasta também vai lançar publicações da Coleção Bicentenário Brasil 200 anos, por meio da Fundação Alexandre de Gusmão. O foco dos textos não é apenas o momento da independência, mas os 200 anos seguintes do Brasil, de acordo com a Fundação.

“Na Esplanada [dos Ministérios], há toda uma quantidade de instituições que estão se debruçando sobre esse percurso dos 200 anos e pensando sobre como chegamos aqui, como chegamos a esse país democrático, esse país inclusivo que estamos construindo e queremos construir”, disse o embaixador Achilles Zaluar, chefe do gabinete do ministro das Relações Exteriores.

Símbolo do Bicentenário

O símbolo oficial da celebração do Bicentenário é o punho de Dom Pedro I erguendo sua espada durante o Grito da Independência, imortalizado pelo quadro de Pedro Américo. O gesto foi o marco inicial da liberdade do Brasil perante intervenções estrangeiras, tornando-se então independente e soberano.

Confira a página do Governo Federal sobre o Bicentenário da Independência do Brasil.

Fonte: Gov.br

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do SaquaremaTV em seu e-mail, é de graça!